Perséfone

Imprimir

Perséfone, ou Prosérpina, em latim, é filha de  Zeus e Deméter , seu nome significa “portadora da destruição”. Juntamente com sua mãe forma um dos mitos de maior penetração na Grécia Antiga e que deu origem à instituição dos Mistérios de Elêusis, prática que foi instaurada no século XV a.C. e perdurou por aproximadamente 2.000 anos. 

Hades, Deus do inferno se apaixonou loucamente por ela e pediu permissão à sua mãe, Deméter, para desposá-la. Sem querer perder a companhia da filha que muito amava e a auxiliava no cultivo dos campos, recusou-lhe o pedido. Certa feita, Coré  (seu nome anterior) andava pelas pradarias de Ena, na Sicília a colher flores, quando se deparou com um lindo narciso, solitária flor à beira do lago.

Ignorando tratar-se de um ardiloso truque elaborado por Zeus para atraí-la para os braços de seu irmão, a inocente jovem se aproximou inclinando-se para apanhar flor tão singela. Subitamente a terra abriu-se a seus pés e de suas entranhas surgiu Hades dentro de um carro. Sem tempo para a fuga, Coré foi arrebatada para as profundezas dos Infernos. Com seu rapto e subseqüente violação, Coré, que significa “virgem”, passou a se chamar Perséfone.

Desesperada, Deméter partiu à procura de sua querida filha e, retirando-se do Olimpo, estabeleceu-se na cidade de Elêusis. Amaldiçoou a terra que imediatamente foi assolada por impiedosa esterilidade. A deusa jurou somente retornar para junto dos imortais quando reencontrasse Perséfone. A pedido de Zeus, Hades concordou em devolver sua sobrinha, agora também sua esposa.

Antes de ser liberta, Perséfone aceitou e comeu sementes de romã oferecidas por Hades. Quem come do fruto da romã sela um compromisso de sempre retornar ao inferno. Este incidente confirma a paixão que Perséfone de certa forma desenvolveu pelo deus Hades. O fruto da romã tem como simbologia a paixão, o amor e a fecundidade, sendo a fruta realcionada à deusa Afrodite, deusa do amor e das paixões.

Desta forma, com o compromisso selado, Perséfone se vê obrigada a permanecer um certo período do ano junto a seu esposo, Hades, nos domínios do inferno, onde é a rainha. Outro período do ano, retornaria à superfície para auxiliar sua mãe Demeter nos cuidados com as colheitas e frutificação da terra.

Essa saga explica o período de outono-inverno, correspondente à tristeza de Deméter pela distância da filha. Na primavera, com o retorno de Perséfone ao mundo dos mortais, Deméter enfeitaria o mundo com flores e alegria.

Perséfone é senhora tanto da produção agrícola quanto do mundo subterrâneo. Simbolicamente seria a deusa do consciente produtivo e dos mistérios ocultos do inconsciente.

Desta forma, ers´r

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to comments via RSS Feed

Páginas

Categorias

Links

Meta

Agenda

julho 2018
S T Q Q S S D
« jan    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Most Recent Posts

 
%d blogueiros gostam disto: