Anunciação

fevereiro 20, 2011 brybru

Estive a sonhar a noite  toda.

Foram muitos sonhos, não me lembro de nenhum. Apenas sei que foram bons sonhos.

E porque deste apagão de memória?

Por que fechei a noite com um sonho maluco, que está me levando por um caminho mais doido ainda. Mas  eu confesso que sempre acreditei na possibilidade de outros seres além de nós, humanos terrestres.

E do sonho uma angústia e mil questões. As coisas irão se acabar? O que devo construir com meu pensamento que vá contra essa grande corrente de negatividade? Não quero ousar a contar esse sonho pra algumas pessoas cheia de dogmas, que com certeza diriam: “final dos tempos”!

Eu creio na eternidade do homem, de sua essência. Eu creio em nossa divindade. Eu creio em nosso poder de criar mundos e realidades.

Por isso do sonho, da angústia e das questões, tiro uma prece, uma grande devoção ao poder de sonhar, de antever ou de relembrar. Seja o que for, fui à pesquisa e passei por OVNIS, pelo texto apócrifo de Enoque, pelo Mahabharata, pelo Monte Sinai e guerras nucleares da antiguidade, pelo sitio arqueológico de Palenque, no México, onde reconheci o lugar do sonho da Lua cheia.

E aqui estou, no “paradigmamatrix”, site muito bom para pesquisas maluquinhas. E agora o sonho.

“Decidi ir até o mar. Fui descendo a ladeira que me levaria até o mar. Ladeira e mar já conhecidos de outros sonhos. Sempre ando por lá. Estava acompanhada por um filho pequeno, menino que não reconheço nesta vida. Não é nenhum dos três atuais. À esquerda da ladeira algumas construções, uma oficina de carros vazia, e algumas pessoas na porta da oficina. À direita da rua um barranco em descida, daqueles que não vemos nada se não chegarmos na beirada do barranco. A rua é irregular, com árvores.

Vejo que um moço tenta subir com a moto pelo barranco até a rua. Mas, apesar de ser uma moto tipo cross, ele não consegue subir. Penso em ajudar, talvez me aproximando e esticando o braço para que ele segure minha mão e com o impulso consiga subir. Enquanto tento chegar à beira do barranco, uma mulher baixinha e gordinha consegue subir  num pulo o barranco, ela estava em uma espécie de triciclo motorizado. Ela parecia estar fugindo de algo.

Nisso eu reparo que há algumas ondas batendo forte na parede do barranco. Penso que o mar está meio bravo. Vou até a beira do barranco e uma visão me atordoa. São milhares e milhares de pessoas, vestidas de branco, vindo em direção do barranco. Me lembro imediatamente de um movimento de êxodo. Todos estão fugindo de uma catástrofe que tem a ver com o mar.

Eu queria ajudar o moço mas a visão daquelas pessoas fugindo me deixa estarrecida. Penso que preciso com urgência sair daquele lugar, vou em busca de meu carro para fugir para um lugar bem alto e não ser destruída.

IRL –  Vocês, leitores, não tem idéia da angústia gerada por esse sonho. Fiquei com a sensação de presságio, mas eu nunca gostei muito disto, de prever coisas ruins. Busquei após a prece ao acordar, tentar mudar isto, seja lá o que for, com uma corrente de bons pensamentos.

Como muitas pessoas por aí, prefiro acreditar que somos nós que construímos a realidade. Por isso dos bons pensamentos.

Aquela multidão de branco me fez pensar em almas. Muitas almas.

Nesta cidade em que vivo, tenho a impressão às vezes de uma enorme e coletiva solidão. Posso me sentir assim individualmente, mas creio que não sou só eu a me sentir assim. Tenho observado quantas pessoas estão sozinhas, mesmo com outros ao redor.

Do sonho percebo uma dica, sou muito espontânea e solícita pra ajudar outras pessoas, coisas de nurse, mas não poder ajudar o moço e a multidão que fugia, me deixou muito mal.

O dia passou normal, fui nadar, faxina do apartamento, um banho  e à noite  lembrei-me dos Maias e de seu avançado calendário, e ao ler os emails, uma mensagem sobre a necessidade de incorporar mais conhecimentos sobre “ETs”. Perder o preconceito e procurar mais informações. Uma necessidade do momento que a terra vivencia, segundo o email. E aí tudo o que eu já citei. Não achei ainda uma explicação. Só mais material de pesquisa. Interessante foi ter visto nas imagens do sítio arqueológico de Palenque, no México, uma imagem ao vivo de meu sonho da noite anterior.

Muitas informações pra um sonho só.

Vou pedir SOS pro meu sonhos e quem sabe assim ter mais insigths e reconhecer os símbolos pra fugir da tragédia e destruição. E se eu puder ajudar o moço de moto e todas as almas eu me sentiria melhor.

Anúncios

Entry Filed under: Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to comments via RSS Feed

Páginas

Categorias

Agenda

fevereiro 2011
S T Q Q S S D
« jan   mar »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28  

Most Recent Posts

 
%d blogueiros gostam disto: